Com informações de O Globo
Conta luz 2

Foto: Divulgação

O consumidor vai sentir no bolso o aumento da conta de luz decorrente da revisão extraordinária de tarifas, já a partir de março. A previsão foi feita pelo presidente da Associação Brasileira das Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee), Nelson Fonseca Leite, depois de se reunir nesta terça-feira (13), com o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga. Leite disse que todas as empresas deverão pedir a revisão, à exceção daquelas cujo reajuste anual é em fevereiro, porque os custos adicionais já serão incluídos na tarifa. Ele não fez projeção de quanto será o aumento das tarifas este ano. Em 2014, a conta de luz aumentou, em média, 17%. “Até o fim deste mês as condições da revisão estarão estabelecidas, e os pedidos, colocados, para que a Aneel possa, no início de fevereiro, apreciar esses pedidos”, disse. Leite lembrou que no próximo dia 20 a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) vai discutir os critérios da revisão extraordinária de tarifas, que será utilizada principalmente para cobrir os custos com a cota extra da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). Ele explicou que o Tesouro não fará mais aportes na CDE, porém, os subsídios continuarão existindo, como baixa renda e Luz para Todos, entre outros. Conforme o dirigente da Abradee, a CDE continua com a mesma destinação, mas muda a forma de financiamento de seus recursos, que era parte na tarifa e parte proveniente do Tesouro. “Agora, vai ser através dessa revisão tarifária. Nenhum subsídio sai da CDE, mas passa do contribuinte para o consumidor’, adianta. A proposta da revisão, que deverá ficar em audiência pública por dez dias, incluirá o aumento de cerca de 46% da energia de Itaipu. Leite defendeu que a revisão tarifária seja rápida e ressaltou que isso permitirá que o setor volte a ser autossustentável, sem depender do Tesouro.