Do G1 PE
jose_chapeu

José Henrique, de 9 anos, se mostra surpreso com a quantidade de gente no enterro do pai, Eduardo Campos. (Foto: Reprodução / TV Globo)

Foi enterrado na noite deste domingo (17), no Cemitério de Santo Amaro, o corpo do ex-governador e candidato à Presidência Eduardo Campos. O sepultamento foi seguido por uma multidão, que acompanhou o cortejo de cerca de dois quilômetros do Palácio do Campo das Princesas até o cemitério, na área central do Recife. De acordo com a Polícia Militar, somando velório, cortejo e sepultamento, participaram das cerimônias fúnebres cerca de 160 mil pessoas.

Ao chegar ao cemitério, o caixão com os restos mortais de Campos foi colocado num carro elétrico, que enfrentou bastante dificuldade para atravessar o caminho até o túmulo, devido à multidão. A viúva Renata Campos e os filhos foram dentro do veículo. Durante o percurso, a multidão jogou flores, aplaudiu, gritou “Eduardo, guerreiro do povo brasileiro” e cantou o hino nacional.

Em frente ao túmulo, se acomodaram em cadeiras para assistir à cerimônia Renata, os filhos, a mãe de Eduardo Campos, a ministra do Tribunal de Contas da União Ana Arraes, o irmão Antônio Campos, Marina Silva e outros familiares. Mas o caixão foi rapidamente sepultado, após o toque fúnebre de uma trompeta. Renata e os filhos se despediram com beijos no caixão e aos gritos de “Eduardo, guerreiro do povo brasileiro”. Quando o caixão foi colocado no túmulo, fogos de artifício começaram a estourar e a homenagem durou dez minutos.

O corpo de Campos deixou o Palácio do Campo das Princesas por volta das 16h30, depois de 14 horas de velório, num carro do Corpo de Bomeiros. As filas dos admiradores que queriam ver o caixão de perto – que chegaram a três quilômetros de extensão, de acordo com a  Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) – ainda estavam enormes no momento. Eduardo Campos morreu na quarta-feira (13), num acidente aéreo em Santos, que também vitimou quatro assessores, o piloto e o copiloto do jato.