VC_Levy_Cunha_Wagner_Seminario_Internacional_03112015_009-850x578

Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil

O presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), relatou nesta terça-feira (21) três encontros com o ex-ministro da Casa Civil, Jaques Wagner (PT), em que o ex-governador baiano ofereceu votos do PT no Conselho de Ética para evitar o acirramento dos ânimos entre o peemedebista e o Palácio do Planalto. De acordo com o Bahia Notícias, Cunha convocou entrevista coletiva para reafirmar estar “absolutamente convicto” que não mentiu na CPI da Petrobras, objeto da representação do PSOL e da Rede que resultou na recomendação pela cassação do mandato dele no Conselho de Ética. Segundo o peemedebista, os encontros com Wagner aconteceram na residência oficial da Câmara, em um jantar, na Base Aérea em Brasília e no Palácio do Jaburu, sem a presença de Michel Temer. “Quem estava propondo era o governo. Além de soar como chantagem, envolvia minha família”, sugeriu Cunha, citando que Wagner teria prometido o não envolvimento da esposa do presidente da Câmara, Cláudia Cruz, e a filha do peemedebista. Nos três encontros, de acordo com Cunha, além de falar dos votos do PT no Conselho de Ética, Wagner teria citado a ascendência sobre José Carlos Araújo (PR-BA), presidente do órgão e com ligações políticas com o petista.