xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.IZ-sfcWCwe

Foto: Gustavo Lima / Agência Câmara

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), defendeu nesta sexta-feira (25) que o PMDB não tenha nenhum ministério na gestão Dilma Rousseff e deixe a base do governo. “Por mim, o PMDB deve ficar com zero. Não só não vou participar [da reforma], como não quero que o PMDB participe. Eu defendo que o PMDB saia do governo e tenha instância própria”, afirmou o parlamentar. Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, ele também cobrou que o partido realize uma convenção nacional para discutir a saída da base governista. “Se tem uma parte do PMDB que entende que tem que ficar no governo, que fique pela governabilidade, ou fique sem cargos, sem exigir mais cargos”, argumentou, para completar: “Quem defende a governabilidade e acha que o Brasil passa pelo momento difícil que passa, não deveria estar exigindo cargos para isso. Deveria estar desprendido pela política pública”. Cunha descartou que esteja isolado dentro da legenda. “[O isolamento]é um debate absolutamente fora de propósito, até porque não estou disputando nada na bancada. Nunca eu procurei qualquer membro da bancada e defendi meu posicionamento pessoal como preponderante na bancada. Então não vou me sentir isolado, porque não estou procurando vencer. Estou procurando simplesmente defender minha posição”, disse.