Dilma cogita usar a força contra caminhoneiros que bloqueiam rodovias
Em discurso nesta quarta-feira (3), a presidente Dilma Rousseff endureceu o tom em relação ao protesto de caminhoneiros, que há três dias têm bloqueado rodovias em diferentes Estados do País. Em referência à bandeira da República, a presidente disse que o País é feito de progresso, mas requer ordem. Dilma afirmou que seu governo “não ficará quieto” frente a esse tipo de manifestação e deixou claro que, se for necessário, o governo deverá usar a força para remover os bloqueios.
 
“É fundamental no País que estradas não sejam interrompidas, e o meu governo não ficará quieto perante o processo de interrupção de rodovias. Ordem significa democracia, mas também respeito às condições de produção e circulação da vida dos brasileiros”, disse.  “Não concordamos com processos que levem a qualquer tipo de turbulência nas atividades produtivas e na vida das pessoas. O Brasil precisa de ordem tanto para sua democracia quanto para sua economia e para a vida de cada um dos brasileiros”, completou a presidente.
 
Nesta terça-feira (2), o ministro dos Transportes, César Borges, garantiu que o governo vai tomar as providências necessárias para evitar os bloqueios de caminhoneiros nas estradas e criar uma câmara com representantes do setor de transporte de cargas para discutir os problemas da área. O objetivo é ampliar o diálogo e buscar soluções rápidas para evitar situações de paralisação como as que têm ocorrido atualmente.