xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.KGJ0JrjJyt

Foto: José Cruz / Agência Brasil

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira (30) em Paris que ficou “perplexa, extremamente perplexa” com a prisão do líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS) na última quarta-feira (30). “Fiquei perplexa, extremamente perplexa. Eu não esperava que isso acontecesse, ninguém esperava”, disse, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo. Dilma está em Paris para participar da Conferência do Clima das Nações Unidas (COP-21). Ele foi preso acusado de tentar atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato, por oferecer ao ex-diretor de Área Internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, uma mesada de R$ 50 mil e a possibilidade de sair do país, para evitar que ele aceitasse um acordo de delação premiada. O dono do banco BTG Pactual, André Esteves, apontado como o financiador da operação, também foi preso após o filho de Cerveró, Bernardo, entregar à Procuradoria Geral da República (PGR) uma gravação na qual o congressista discutia com seu assessor, Diogo Ferreira, que também foi preso, os detalhes do plano, incluindo um lobby com pela soltura de Cerveró no Supremo Tribunal Federal (STF).