Grande parte das obras do porto cubano vieram de dinheiro brasileiro, do BNDES Foto: Roberto Stuckert Filho/PR/Divulgação

A presidente Dilma Rousseff inaugurou, nesta segunda-feira (27), a primeira etapa do Porto de Mariel, a 45 quilômetros de Havana, capital de Cuba. O porto, que é a grande aposta do país de regime comunista para mudar sua economia, custou US$ 957 milhões e, deste total, US$ 682 milhões foram bancados pelo Brasil, através do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O dinheiro investido em Cuba é bem maior do que o aplicado em terminais brasileiros em 2013. Segundo reportagem de VEJA, os termos do contrato, classificado como secreto pelo governo, não são conhecidos e não se sabe até que ponto esse dinheiro representa alguma garantia de pagamento ao Brasil. De acordo com VEJA, há risco de calote por parte do governo cubano. Dilma desembarcou em Havana domingo (26) para participar da II Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), onde se espera a participação da maior parte dos presidentes latino-americanos e caribenhos.

Redação Notícias de Santaluz