Vaiada pela torcida antes do primeiro jogo da Copa das Confederações, a presidente Dilma Rousseff não vai comparecer à final da competição. A Seleção Brasileira vai enfrentar a Espanha na decisão, mas, de acordo com a ESPN, não contará com a presença da chefe de Estado. O duelo acontecerá a partir das 19h (de Brasília) no Estádio do Maracanã. De acordo com a emissora, a confirmação sobre a notícia veio da assessoria do Palácio do Planalto. O evento realmente não está na agenda da presidente, que não mostra compromissos oficiais do final de semana e foi atualizada nesta sexta-feira. Ela foi convidada oficialmente para abertura e encerramento do torneio. Presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Joseph Blatter chegou a comentar sobre a possível ausência de Dilma nesta sexta-feira, mas de forma rude. “Não sou profeta, não posso prever (se ela vai)“, disparou o suíço. Antes desta sexta, a presença dela era tida como certa pela entidade máxima do futebol. O principal fator que motivou a decisão de Dilma pode ser o momento turbulento pelo qual passou o Brasil durante a competição. Diversos protestos se espalharam pelo País e aconteceram em praticamente todos jogos da Copa das Confederações.