Share Button
Foto: Reprodução/Pixabay

Foto: Reprodução/Pixabay

A eficácia de uma nova substância produzida com glândulas salivares do carrapato-estrela no tratamento de um dos mais severos tipos de câncer em crianças foi comprovada por cientistas. Durante a fase de testes os pesquisadores identificaram a possibilidade da substância agir como anticancerígeno no tratamento do ependimoma, um tipo de câncer cerebral infantil que surge do epêndima e atinge um tecido do sistema nervoso central. Os pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e do Instituto Butantan aguardam investimentos que possibilitem a infraestrutura necessária para a produção da droga que possa ser utilizada em testes clínicos com humanos, de acordo com a Agência Brasil. Desde o ano 2000 as propriedades anticancerígenas da proteína codificada por genes do carrapato Amblyomma sculptum, nome científico do carrapato-estrela, já tinham sido comprovadas com tumores agressivos, como o câncer de pâncreas e o melanoma. “Quando descobrimos a possibilidade dessa droga, decidimos investigar suas ações contra o ependimoma,” disse o neurocirurgião Sérgio Cavalheiro, da Escola Paulista de Medicina, da Unifesp à reportagem da Agência Brasil.