WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Home . Inicio




Laboratório Checap

Império Store

Drogaria Santana

:: ‘Destaque3’

Senado aprova PEC que libera até R$ 44 bilhões para novo auxílio emergencial

Share Button

Foto: Freepik

O Plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (3), em primeiro turno, o texto-base da PEC que permite ao governo federal pagar o auxílio emergencial em 2021 por fora do teto de gastos do orçamento e do limite de endividamento. No entanto, o programa ficará limitado a um custo total de R$ 44 bilhões. De acordo com a Agência Senado, a votação em segundo turno está prevista para esta quinta-feira (4). Depois disso, se a aprovação for confirmada, a proposta de emenda à Constituição (PEC) seguirá para a Câmara dos Deputados. A primeira versão do auxílio ultrapassou os R$ 300 bilhões de custo total, tendo chegado a cerca de 68 milhões de pessoas, em duas rodadas: na primeira, que durou cinco meses, foram parcelas de R$ 600 por pessoa; na segunda, chamada de “auxílio residual”, foram parcelas de R$ 300 durante quatro meses, e com um público-alvo menor. O novo montante representa menos do que o auxílio residual, que custou cerca de R$ 64 bilhões.

Notícias de Santaluz

Grupo com armas e explosivos invade casa lotérica em Conceição da Feira e rouba cofre

Share Button

Por TV Bahia

Foto: Reprodução/TV Bahia

Uma casa lotérica foi assaltada na madrugada desta terça-feira (2), na cidade de Conceição da Feira, cerca de 100 km distante de Salvador. Um cofre pequeno foi levado e há marca de tiros e explosão no estabelecimento. Imóveis próximos também foram danificados. De acordo com a polícia, seis homens foram vistos chegando à cidade em um carro, por volta das 2h. A ação durou cerca de 30 minutos. Explosivos foram deixados no local pelos criminosos e, por isso, o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) foi acionado. Não há informações sobre feridos na ação criminosa, e o valor roubado da casa lotérica também não foi divulgado.

Petrobras sobe preços da gasolina e do diesel mais uma vez

Share Button

Por G1

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Petrobras vai elevar mais uma vez os preços da gasolina e do diesel nas refinarias a partir de terça-feira (2), informou a companhia nesta segunda-feira, por meio da assessoria de imprensa. A nova alta vem pouco mais de uma semana após o presidente Jair Bolsonaro pedir a substituição do presidente da petroleira. O preço médio de venda da gasolina passará a ser de R$ 2,60 por litro, alta de R$ 0,12 por litro (4,8%), enquanto o diesel passará a média de R$ 2,71 por litro, aumento de R$ 0,13 por litro (5%). É a quinta alta do ano nos preços da gasolina, e a quarta no valor do litro do diesel. Em dezembro, o litro da gasolina custava em média R$ 1,84. Já o do diesel saía a R$ 2,02. Com os novos reajustes, o litro da gasolina nas refinarias acumula alta de 41,3% desde o início do ano. Já o diesel subiu 34,16% no mesmo período. As sucessivas altas nos combustíveis este ano irritaram o presidente Jair Bolsonaro, que indicou o general Joaquim Silva e Luna para substituir o atual presidente Roberto Castello Branco do comando da estatal. O mandato de Castello Branco, no entanto, termina em 20 de março, e até lá ele segue no cargo.

Santaluz tem três vezes mais curados do que novos casos de Covid nas últimas 24 horas; nº de ativos cai mais de 10%

Share Button

Foto: Freepik

O número de pessoas recuperadas da Covid-19 nas últimas 24 horas em Santaluz foi três vezes maior do que a quantidade de novos casos. Segundo o boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde na noite desta sexta-feira (26), foram registradas 30 novas curas clínicas e 9 diagnósticos de infecção. Além disso, o total de casos ativos registrou redução de mais de 10%, caindo de 195 para 174. Com a atualização, a cidade passa a totalizar 2.005 casos positivos e 1.803 curas desde o início da pandemia. Há ainda 126 suspeitas de infecção sendo investigadas.

Notícias de Santaluz

Se governo federal não comprar vacina da Pfizer até 19 de março, Bahia vai iniciar negociação

Share Button

Imagem: Foto: Justin Tallis/AP

Após meses de negociação sem avanço, a Pfizer estabeleceu um prazo até o dia 19 de março para fechar a compra de vacinas contra a Covid-19 pelo governo federal. Se até lá a União não firmar contrato, a empresa vai discutir a venda de seu imunizante para o governo da Bahia. A informação foi repassada pelo governador Rui Costa à CBN e à coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo. Procurada pelo Bahia Notícias, a Secretaria de Comunicação do Estado confirmou o prazo e a negociação. No entanto, afirmou que a quantidade de doses ainda não foi definida. Questionada se a compra seria individual ou por meio do Consórcio Nordeste, a assessoria disse que isso também não está decidido. Porém, confirmou a possibilidade de negociar junto a outros estados. Nesta semana, a vacina da Pfizer teve seu uso definitivo aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Já sendo aplicado em diversos países do mundo, a exemplo dos Estados Unidos, o imunizante apresentou eficácia de 94% contra o coronavírus.

Conjunto penal de Jequié tem surto de Covid; 51 detentos testaram positivo

Share Button

Foto: Seap/Divulgação

Um surto de Covid-19 atingiu detentos do Conjunto Penal de Jequié, cidade do sudoeste da Bahia. Ao todo, 51 internos testaram positivo para doença. De acordo com o G1, o primeiro caso na unidade foi detectado em 14 de fevereiro e, a partir daí, outros internos foram sendo sendo testados, e a quantidade de infectados aumentou. Entre os detentos que testaram positivo, está um idoso de 71 anos, que precisou ser internado no hospital da cidade. Ele está com 20% do pulmão comprometido. Segundo informações do major João Henrique, diretor da unidade prisional, os detentos com Covid-19 estão em ala separada dos demais, recebendo acompanhamento médico e sendo monitorados.

Minutos antes de jogo na Bahia, atletas deixam o gramado para chegada de helicóptero com vacinas contra Covid

Share Button

Foto: Renan Pinheiro / TV Bahia

Faltando pouco menos de 30 minutos para a bola rolar em Alagoinhas, em partida válida pela 3ª rodada do Campeonato Baiano, os jogadores de Atlético e Vitória precisaram deixar o gramado para que um helicóptero da Polícia Militar transportando vacinas contra o coronavírus pousasse no local. De acordo com informações do ge.com, a operação foi rápida: durou cerca de cerca de cinco minutos. Entretanto, a 10 minutos do início do confronto, o helicóptero seguia no campo. Na manhã desta quarta-feira, um avião com 129,5 mil doses da vacina de Oxford/AstraZeneca chegou ao aeroporto de Salvador, por volta das 11h20. As doses chegaram em um voo comercial.

Bolsonaro entrega ao Congresso MP para destravar privatização da Eletrobras

Share Button

Por G1

Foto: Alan Santos/PR

O governo federal entregou nesta terça-feira (23) ao Congresso Nacional uma medida provisória (MP) que busca acelerar a privatização da Eletrobras. A entrega foi feita pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, entre outros membros do governo. Na última semana, Bolsonaro causou quedas expressivas nas ações da Petrobras e da Eletrobras ao sugerir e anunciar interferências no comando das duas estatais. No caso da Eletrobras, Bolsonaro disse que o governo ia “meter o dedo na energia elétrica, que é outro problema também”, sem esclarecer o que faria. “Então, a Câmara e o Senado vão dar a devida urgência à matéria, até por ser uma medida provisória. E a nossa agenda de privatização, essa MP não trata disso hoje em dia, mas nossa agenda de privatização continua a todo vapor. E nós queremos, sim, enxugar o Estado, diminuir o tamanho do mesmo, para que nossa economia possa dar a satisfação, dar a resposta que a sociedade precisa”, declarou Bolsonaro nesta terça. O documento foi entregue aos presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). Lira afirmou que pretende pautar o texto no plenário da Câmara já na próxima semana. Medidas provisórias têm força de lei assim que publicadas no “Diário Oficial da União”. Precisam, contudo, ser aprovadas pelo Congresso para se tornar leis em definitivo.

Vacina da Pfizer contra Covid-19 é a 1ª a obter registro definitivo no Brasil

Share Button

Por G1

Foto: Freepik

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu, nesta terça-feira (23), o registro definitivo à vacina da Pfizer/BioNTech contra a Covid-19. O registro definitivo autoriza a importação da vacina para o Brasil. A vacina é a primeira a obter o registro sanitário definitivo no país, mas ela ainda não está disponível em solo brasileiro. O G1 disse que questionou o Ministério da Saúde sobre uma previsão de compra da vacina, mas, até a última atualização desta reportagem, não havia recebido resposta. As duas vacinas que estão sendo aplicadas no Brasil são a de Oxford e a CoronaVac, mas ambas têm autorização de uso emergencial, e não o registro definitivo. A vacina da Pfizer foi uma das quatro testadas no Brasil. No início do ano, a farmacêutica disse ter oferecido 70 milhões de doses da vacina ao governo brasileiro para entrega ainda em dezembro, mas a oferta foi recusada. O Ministério da Saúde disse que as doses propostas pela Pfizer causariam “frustração” aos brasileiros. O governo também afirmou que não comprou a vacina devido a uma cláusula no contrato segundo a qual a Pfizer não se responsabiliza por efeitos adversos graves do imunizante. No domingo (21), a pasta afirmou em nota que esperava até a próxima sexta-feira (26) uma orientação do Palácio do Planalto sobre como solucionar o impasse nas negociações das vacinas da Pfizer e da Johnson – que também pediu isenção de responsabilidade por eventuais efeitos adversos graves.

Doria afirma que São Paulo está socorrendo o Brasil: ‘Onde estão as outras vacinas?’

Share Button

Foto: Divulgação/Governo de SP

Responsável por viabilizar o acordo entre o laboratório chinês Sinovac e o Instituto Butantan, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirma que a cada 10 vacinadas contra a Covid-19 no país, nove receberam a Coronavac. Ele defende que isso se deve ao esforço de seu governo e do instituto, uma vez que o governo federal trabalhou contra o imunizante.

“Todos acompanharam o esforço do governo federal contra a vacina, com uma série de impropérios. (…) Hoje nós temos aqui em solo brasileiro 27.100.000 doses do Instituto Butantan, amanhã estamos entregando mais 3.400.000 doses ao ministério. (…) Aí eu pergunto: onde estão as outras vacinas? Não pode ficar apenas o Butantan com a responsabilidade de prover vacinas para o país, o que fazemos com alegria”, apontou o governador. A declaração foi dada em entrevista concedida, por telefone, ao programa Isso é Bahia, parceria da rádio A Tarde FM com o Bahia Notícias.

Doria lembrou que a capacidade de produção prometida pelo instituto paulista e pelo laboratório chinês foi entregar 100 milhões de doses ao Brasil – 46 milhões até abril e mais 54 milhões até agosto. Sendo assim, de acordo com o governador de São Paulo, o cronograma está sendo cumprido.

O governo federal, no entanto, acusou o Butantan de atrasar a remessa que deveria ser entregue em fevereiro. Na semana passada, o Ministério da Saúde divulgou um cronograma de vacinação, com a previsão de receber 9,3 milhões de doses da Coronavac neste mês, porém, horas antes, o Butantan indicou que entregaria 2,6 milhões de doses. Em nota de resposta, o instituto paulista pontuou que foi afetado com o atraso na chegada da matéria-prima, culpando o governo brasileiro e sua relação desgastada com a China por isso.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia