IMAGEM_NOTICIA_5

Foto: Adenilson Nunes/ Agecom

O diretor-presidente da Empresa Baiana de Alimentos (Ebal), Eduardo Sampaio, destituído do cargo na última quinta-feira (21), escreveu uma carta de despedida aos funcionários, em que fez críticas ao governo do estado. O gestor destacou que a Cesta do Povo não é priorizado pelo governo do estado. De acordo com o jornal A Tarde deste sábado (23), Sampaio disse que a empresa foi criada como um programa social, mas “ao longo do tempo foi mudando seu rumo pelo fato de a Cesta do Povo não ser prioridade do govenro nos últimos anos” e, apesar dos avanços, a Ebal “nunca conseguiu ser financeiramente sustentável”. Sampaio foi dispensado do cargo sem que a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), à qual a Ebal está vinculada, justificasse publicamento o motivo. O substituto será o chefe de gabinete da SDE, Marco Aurélio Félix Cohim Silva, que assume o cargo nesta segunda-feira (25). A Ebal passa por trâmites de desestatização e deve ser leiloada no início de abril. O lance mínimo estipulado é R$ 81 milhões.