Por Agência Brasil
dilmecio

Disputa presidencial entre Dilma e Aécio foi a mais acirrada após a ditadura

A reeleição da presidenta Dilma Rousseff (PT), consolidada ontem (26) em segundo turno – com a vitória da petista por 51,64% contra 48,36% de Aécio Neves (PSDB) – foi a disputa mais acirrada para a escolha do chefe do Executivo desde 1989, quando o país voltou a ter eleições diretas para presidente após o período militar. À época, em primeiro turno, Fernando Collor (PRN) somou 28,52%, contra 16,08% de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Com a disputa indo a segundo turno, Collor foi eleito com 53,03% dos votos, contra 46,96% de Lula. No primeiro turno deste ano, Dilma somou 41,59% dos votos contra 33,55% do tucano.

Já nas eleições de 1994, a decisão ocorreu ainda em primeiro turno,  com Fernando Henrique Cardoso (PSDB) vencendo Lula por 55,22%, contra 39,97% do petista. O mesmo se repetiu quatro anos depois, na reeleição de FHC em primeiro turno, em 1998. Na ocasião, FHC somou 53,06% dos votos, enquanto o petista conquistou 31,71% da preferência. 

Em 2002, a disputa foi para segundo turno entre José Serra (PSDB) e Lula (PT). Em primeiro turno, petista somou 46,44% do eleitorado, contra 23,19% do tucano. Em segundo turno, Lula venceu com 61,27% da preferência, contra 38,72% de Serra. Em 2006, a disputa foi entre Geraldo Alckim (PSDB) e Lula (PT), que buscava a reeleição, também em dois turnos. No primeiro, o petista ficou na frente com 48,60% dos votos, contra 41,63% do tucano. Em segundo turno, Lula se reelegeu com 60,82% dos votos, contra 39,17% de Alckmin.

Em 2010, primeira eleição presidencial disputada por Dilma Rousseff, precisou ser decidida em dois turnos. No primeiro Dilma somou 46,91% dos votos válidos, contra 32,61% de José Serra (PSDB). Já na segunda etapa da disputa, Dilma garantiu a eleição com 56,05% da disputa, contra 43,95% de Serra.