Oficiais da capital e do interior deliberam por assembleia geral conjuntaHá três dias de o governador Jaques Wagner se posicionar acerca das propostas que recebeu do Grupo de Trabalho e Modernização da PMBA, 700 Oficiais da capital e interior, ativos e inativos, se reuniram na noite desta terça-feira (18), no Clube dos Oficiais da PMBA, onde resolveram realizar uma Assembleia Conjunta com as demais associações de classe para decidirem se aceitarão ou não as propostas apresentadas pelo governo no que diz respeito às proposições do Novo Estatuto, a Nova Lei de Organização Básica e o novo Código de Ética da Corporação. Entre as propostas, a que mais despertou atenção dos Oficiais foi a implementação de remuneração por subsídio, na qual se sugere absorver demandas judiciais já transitadas em julgado e não acolhidas para a totalidade dos policiais e bombeiros militares, como a URV (11,32%) e o reajuste da Gratificação de Atividade Policial Militar (GAP) na proporção do aumento dos soldos, promovido pela Lei nº 8.889/2003 (10,06%). A Assembleia Conjunta acontecerá no dia 21 de março no Wet’n Wild, em Salvador. No entanto, durante todas as sextas-feiras, até o dia da Assembleia, serão realizadas reuniões na sede da Aspra, também na capital baiana.

PMs participaram de reunião em Conceição do Coité

Na sexta-feira (14), um grupo de policiais militares também se reuniu a fim de discutir as propostas feitas ao governador. O encontro ocorreu na Câmara Municipal de Conceição do Coité, e contou com a presença do Diretor-geral da Associação dos Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia (Aspra-BA), Marco Prisco Caldas Machado, o vereador soldado Prisco, além do deputado estadual Capitão Tadeu (PSB).

Redação Notícias de Santaluz