(Foto: Kiko Freitas / Varela Notícias)

Com cartazes e faixas, eles pedem justiça pela morte do pastor e de missionário, confundidos com ladrões | (Fotos: Kiko Freitas / Varela Notícias)

Amigos, parentes e membros de uma igreja evangélica de Salvador fizeram um protesto, na tarde desta sexta-feira (25), por volta das 17h, contra a morte do pastor Gilmário Sales Lima, de 25 anos, e do missionário Jesivam Cristiano Dias Brito, de 26 anos, mortos durante uma operação policial na BR-324, em Feira de Santana. A manifestação aconteceu em uma praça localizada em frente ao Shopping Iguatemi.

Pacificamente, eles fecharam a pista da Avenida ACM sentido Tancredo Neves e Paralela, acompanhados de um trio elétrico. Segundo o Varela Notícias, além de terem feito um abaixo assinado para que o delegado à frente da operação faça um pedido público de desculpas, eles ainda cobraram providências ao governador do estado.

Desolada, mãe de uma das vítimas ainda não admite a morte do filho.

Desolada, mãe de Gilmário ainda não admite a morte do filho

Recentemente, após uma escuta, feita pela polícia com autorização da Justiça, tanto o nome de Gilmário Sales Lima, quanto o de Jeisivam Dias, não aparecem sendo citados nas gravações por nenhum dos envolvidos, tampouco a voz das duas vítimas é ouvida pelos investigadores.

Os religiosos foram mortos em uma troca de tiros, segundo a Polícia Civil. Eles faziam parte de uma quadrilha de roubo de carros, segundo a investigação. Amigos e parentes contestam a versão. O deputado e pastor Marco Feliciano enviou um assessor a Feira de Santana para acompanhar a investigação.

Notícias de Santaluz