por iG São Paulo
pastor-Steven-Anderson

Foto: Divulgação

Em mais um episódio de fundamentalismo religioso pregando a homofobia, um pastor batista tem causado indignação entre a comunidade LGBT. Em um sermão capturado em vídeo e postado no YouTube, o norte-americano Steven Anderson diz que o mundo estaria livre do HIV até o Natal se todos os gays fossem mortos. O pastor inicia o sermão reclamando da sua agência bancária, que foi decorada com faixas e mensagens de conscientização para o Dia Mundial da AIDS (dia primeiro de dezembro). Ele chega a afirmar que os governantes estão desperdiçando bilhões de dólares para tentar encontrar a cura do HIV, quando na verdade ele ‘já descobriu a cura da AIDS’. “Se um homem se deita com um homem, como ele deita com uma mulher, ambos cometeram uma abominação: eles devem ser levados à morte. Sangue deve ser colocado sobre eles”, diz o pastor, citando o lívro Levítico, da Bíblia. “Esta, meus amigos, é a cura da AIDS”. “Estava na Bíblia esse tempo todo – e eles estão gastando bilhões de dólares em pesquisas e testes. É curável – está provado. Porque se vocês executassem todos os gays como Deus recomenda, vocês não teriam toda essa AIDS correndo solta.” Anderson finaliza o culto dizendo que nenhum LGBT pode ser cristão e que ele jamais permitirá homossexuais dentro de sua igreja enquanto ele for pastor. Ele já havia causado polêmicas por outros vídeos postados na internet, em que prega o antissemitismo e a misoginia, além de orar pela morte de Barack Obama, presidente dos Estados Unidos.