Nesta sexta-feira (31) o programa Câmera Record, da Rede Record de televisão, veiculou em rede nacional uma reportagem especial sobre curiosidades de algumas cidades do Sertão da Bahia. A equipe do repórter Jésus Mosquéra viajou pelo sertão baiano e descobriu moradores ilustres e histórias cercadas de mistério. Pelo caminho muitas surpresas e personagens diferentes, a exemplo do detetive Dé, que vive em Feira de Santana e é conhecido como “007 do sertão”, com mais de cinco mil casos resolvidos.

Pelo caminho muitas surpresas, como a incrível história do “hospital fantasma”, em Jacobina. O Hospital Regional da cidade, conta com 203 leitos, ortopedia, maternidade, equipamentos modernos, funcionários, mas, se encontra sem realizar atendimento, após a quebra de contrato com a prefeitura por uma suspeita briga política, desde janeiro de 2013, início da gestão do atual prefeito Rui Macedo, que, pasmem, é ”médico”. O Ministério Público já promoveu reunião para tentar resolver o caso, a população da cidade de Jacobina já organizou diversas manifestações pela reabertura do hospital aos pacientes atendidos pelo SUS, até agora nada adiantou.

Durante o programa foi mostrada também a história do biólogo, Eraldo Costa Neto, que defende uma tese, além de “exótica”, bastante polêmica, combater a fome se alimentando com insetos. Acredite, tem até pastel de baratas.

Região Sisaleira foi destaque no programa

Na região do sisal, o repórter Jésus Mosquéra, mostrou o drama vivido por dona Genésia, 55 anos, moradora de Biritinga, que teve uma filha e um irmão atingidos e mortos por descarga elétrica vinda do céu, com a mesma idade e na mesma época do ano.

Em Valente foi mostrada a luta de Jorgiana de Jesus, 41 anos, que pesa 162 quilos e mede 1,56m de altura. Jorgiana sofre com o peso do próprio corpo, a ponto de precisar de uma cama de cimento para dormir. A mulher, que vive de doações e da ajuda de familiares, chegou a perder três bebês ainda na gestação, dois por causa da obesidade mórbida.

O programa também embarcou na história de “Boba da Bike”, escrivão de repartição pública, em Retirolândia, mas que vive em Valente, que nas horas vagas se transforma. Dono de uma alegra contagiante, o ex-palhaço que distribui bicicletas para a garotada, é dono de uma frota invejável das “magrelas”, vários modelos, cores e tamanhos. 

Redação Notícias de Santaluz