wmX-621x414x4-53b58381f34637a122dfe30709b0e63ffc3554ef7f626

Foto: Divulgação

Quase sete mil motoristas profissionais estão impedidos de tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) nas categorias C, D e E por causa da exigência da realização dos exames toxicológicos, que se tornou obrigatório no início de março. De acordo com o jornal Correio, o Detran-BA alega que o laboratórios credenciados para fazer o exame na Bahia “sequer estão informados de como é esse procedimento”. A CNH só pode ser impressa depois que o laboratório inserir o resultado do exame no documento, através do Sistema de Registro Nacional de Condutores Habilitados (Renach). Em razão do impasse no procedimento estabelecido pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), os motoristas não conseguem renovar suas habilitações ou mudar a categoria. Ainda segundo o Correio, o exame para detectar se o condutor consumiu drogas ilícitas nos últimos 90 dias custa entre R$ 258 e R$ 500.