O delegado Ricardo Brito, coordenador regional de polícia, afirmou em entrevista ao Acorda Cidade que não há dúvidas de que os quatro homens mortos durante a ação policial realizada na tarde de quinta-feira (17), na BR-324, são acusados de envolvimento em roubos de carros. O delegado disse também que Gilmário Sales Dias, 24 anos, pastor evangélico, era proprietário do veículo Peugeot vermelho e que o mesmo foi submetido à perícia técnica, que comprovou adulteração no chassis e no motor.

“E para nossa surpresa, a perita encontrou três quilos de maconha prensada entre os compartimentos do carro dele”, informou Ricardo Brito.

O Acorda Cidade recebeu diversos e-mails e ligações de pessoas que conheciam o pastor Mário Sales, como era conhecido, e o evangelista Jeisivam Cristiano Dias Brito, 26 anos. Todos se mostraram surpresos com a notícia e até mesmo alegaram que os dois foram mortos por engano.

 “Eles tinham envolvimento com essa quadrilha, que não é composta só por esses quatro, pois é uma quadrilha maior e tem pessoas foragidas. No momento em que eles foram abordados pela Polícia Civil, reagiram à trocando tiros com os policiais”, disse o delegado, informando que em poder deles foram encontrados três revólveres. Um deles, niquelado, de calibre 38, foi encontrado no carro de Gilmário.

As informações são do Acorda Cidade

Deixo o seu comentário

comentário(s)