Com informações do Acorda Cidade
69120-3

Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade

Foi condenado a oito anos de reclusão em regime semiaberto, o ex-policial civil João de Melo e Silva Júnior, que matou no dia 26 de fevereiro de 2005 o jovem de 19 anos, Gilberto Oliveira Carvalho Júnior. Apesar da condenação (pena mínima), o réu vai recorrer da decisão da pena em liberdade, uma vez que ele esteve livre por nove anos, após cumprir quatro meses de prisão na corregedoria da polícia. O julgamento, iniciado às 10h desta terça-feira (18), teve oito horas de duração. O crime foi motivado por um desentendimento entre a vítima e o cunhado do ex-policial. Segundo consta dos autos do processo, João de Melo estava bebendo em um bar quando o cunhado chegou fazendo queixas da briga que teve com o jovem. Em seguida, João de Melo saiu em busca da vítima, que seguia para casa e ao encontrá-la na Rua Castro Alves, em Feira de Santana, sacou a arma. O jovem, segundo os autos, ajoelhou-se pedindo para não morrer, mas o disparo foi efetuado. O promotor de Justiça, Audo Rodrigues informou que o ex-policial tem o prazo de cinco dias para recorrer da pena aplicada. Ele apresentou como o crime aconteceu e explicou que não foi possível sustentar as qualificadoras da torpeza e do recurso que impossibilitou a defesa porque houve a exclusão destes por parte do juiz em Feira de Santana, na época, e posteriormente por parte do Tribunal da Justiça após recurso apresentado pela defesa.