O problema da falta de professores na Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), segundo a Associação dos Docentes da Universidade de Feira de Santana, pode comprometer o segundo semestre letivo de 2013, previsto para começar no dia (29/8). O Conselho Superior de Ensino Pesquisa e Extensão (Consepe) da instituição encaminhou à Secretaria da Educação (SEC) um documento relatando a possibilidade de não iniciar as atividades acadêmicas, caso o governo não viabilize a imediata contratação dos docentes selecionados e, sobretudo, a ampliação do quadro de vagas efetivo, que está praticamente esgotado em todas as classes. A situação, conforme o documento, interfere no planejamento e nas ações acadêmico-institucionais das pró-reitorias, dos departamentos e dos colegiados, bem como no funcionamento dos cursos de graduação, pós-graduação e na vida profissional dos docentes.

O processo de negociação entre a reitoria e o governo para ampliação do quadro de vagas de docentes efetivos começou em agosto de 2011, quando foi relatado o crescimento da Uefs, que nos últimos anos implantou cinco cursos de graduação e mais onze programas de pós-graduação. No entanto, segundo a reitoria, apesar da realização de diversos estudos para a fixação do quantitativo de vagas necessário à regularização do funcionamento institucional, não houve avanços no que se refere ao estabelecimento de um novo quadro, que precisa ser redefinido através de um Projeto de Lei encaminhado pelo governador à Assembleia Legislativa (Alba).