Share Button
image-13-600x400

Foto: Divulgação

Em uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira (30), procuradores da Operação Lava Jato alegaram que podem renunciar coletivamente caso a proposta de abuso de autoridade [pacote anticorrupção] entre em vigor. A medida foi introduzida na madrugada de quarta-feira (30), na Câmara dos Deputados. “Vamos renunciar coletivamente à Lava Jato caso essa proposta seja sancionada pelo presidente”, declarou o procurador da República, Carlos Fernando Lima. Segundo a Folha de S. Paulo, na madrugada desta quarta-feira, o plenário da Câmara dos Deputados votou emendas e derrubaram vários pontos importantes do pacote de dez medidas anticorrupção do Ministério Público. Entre as medidas tomadas, os deputados incluíram a emenda que torna possível a punição a integrantes e magistrados do Ministério Público por crime de abuso de autoridade. “Nós somos funcionários públicos. Temos uma carreira no Estado e não estaremos mais protegidos pela lei. Se nós acusarmos, nós podemos ser acusados. Nós podemos responder, inclusive, pelo nosso patrimônio. Não é possível, em nenhum estado de direito, que não se protejam promotores e procuradores contra os próprios acusados. Nesse sentido, a nossa proposta é de renunciar coletivamente caso essa proposta seja sancionada pelo presidente”, disse Lima, segundo o G1.