agua-20141013150544

Foto: Divulgação

A operação ‘Sede de Justiça’, deflagrada na manhã desta quinta-feira (27), pelo Ministério Público Estadual (MP-BA), Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia (Sefaz), Polícia Civil e Procuradoria do Estado desarticulou um esquema de sonegação e outras fraudes fiscais, a exemplo do uso de “laranjas”, na empresa Frésca, de distribuição de água mineral engarrafada. Durante a força-tarefa foram cumpridos quatro mandados de prisão e seis de busca e apreensão nos municípios de Salvador e Dias D’Ávila. De acordo com o MP-BA, em 12 anos, o esquema fraudulento já burlou o fisco estadual em pelo menos R$ 11 milhões, por meio da criação de empresas em nomes de sócios “laranjas”. Ainda de acordo com o Ministério Público, a Frésca vinha cometendo uma série de irregularidades, como subfaturamento nas vendas de água mineral em garrafões de 20 litros, omissão de saídas de produto acabado tributado e utilização de sócio “laranja” na composição societária da empresa, com a finalidade de não pagar o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) devido. 

Redação Notícias de Santaluz