xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.Ojk3vQ_205

Foto: Agência Brasil

O ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, disse ao jornal Valor Econômico que a corrupção na petroleira é anterior ao processo investigado pela Operação Lava Jato. “E você acha que começa agora?”, questionou o ex-dirigente. Segundo o Bahia Notícias, na entrevista, Gabrielli classificou o ex-diretor de Abastecimento da empresa, Paulo Roberto Costa, como “dissimilado”. “Ele fazia isso e ninguém sabia. Fazia isso fora da Petrobras”, afirmou. Segundo ele, as declarações do doleiro Alberto Youssef sobre pagamentos feitos à Muranno pela Petrobras, de despesas da Fórmula Indy, são “ficção pura”. “Youssef eu nem sei quem é, nunca estive com ele”, frisou. De acordo com Gabrielli, o registro contábil de comissão e de corrupção é “complicado, difícil de separar”. O ex-gestor da Petrobras afirmou ainda que o voto do ministro José Jorge, do Tribunal de Contas da União (TCU), “tem motivação política clara”.