1420134638IMG_20150101_140314

Foto: Mateus Pereira/GOVBA

Por meio de cartas que serão enviadas nesta segunda-feira (16), endereçadas ao ministro José Eduardo Cardozo e ao presidente do Conselho Diretor da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Roberto Egydio Setúbal, o governador Rui Costa propõe uma série de ações de prevenção e combate a crimes contra instituições financeiras na Bahia. Para a Febraban, Rui solicita a instalação de câmeras de segurança, interna e externamente, com qualidade suficiente para possibilitar uma correta identificação dos suspeitos, em agências e terminais de auto-atendimento isolados. O governador também sugere a criação de centrais de monitoramento online das instalações, para possibilitar o acionamento remoto e imediato de contramedidas, como jatos de fumaça densa, água ou produtos químicos não letais. Na carta emitida à Febraban, o governador solicita ainda a implantação de iniciativas antifurto, como tintura de cédulas, que seriam acionadas automaticamente no caso de violação não autorizada. Por fim, propõe parceria para estabelecer protocolos de segurança com os poderes local e nacional, propiciando canais de comunicação confiáveis, céleres e eficientes. Entre as ações propostas ao ministro José Eduardo Cardozo, o governador sugere a implantação de marcadores químicos em explosivos, que possibilitem o rastreamento mais efetivo destes artefatos. Rui também propõe a obrigatoriedade para os fabricantes de identificação dos explosivos através do número do lote e um número sequencial, permitindo uma melhor individualização do produto e maior possibilidade de rastreamento. Ainda ao ministro, Rui indica a criação e instituição de cadastro nacional, civil e criminal, de pessoas com conhecimento e atuação na área de explosivos, além de banco de dados nacional com informações sobre pessoas jurídicas, aquisição, comércio, transporte, utilização e subtração de produtos controlados, notadamente explosivos. 

Redação Notícias de Santaluz