Share Button

Por Correio24horas

Foto: Hilza Cordeiro/Correio

Foto: Hilza Cordeiro/Correio

Cerca de 400 pessoas se reuniram na tarde desta segunda-feira (14), na Adelba, no bairro de Patamares, para realizar uma carreata até o Centro Administrativo da Bahia (CAB). De acordo com o deputado Prisco, líder da manifestação, a ideia é mostrar força e o número de policiais que aderiram ao movimento. “Vamos para a rua pedir o apoio da população. É a nossa ideia. Então, será uma manifestação pacífica, tranquila”, disse Prisco, enquanto os policiais gritavam palavras como “a PM parou”. O grupo, que conta com policiais ativos, inativos e familiares, passou em frente à Governadoria e à Assembleia Legislativa da Bahia, para mostrar que um percentual do efetivo paralisou as atividades. Alguns carros estão pichados com dizeres como “negocia, Rui”, em alusão a uma suposta falta de diálogo com o governador Rui Costa (PT). Dentre os pedidos da categoria estão melhorias do Planserv; cumprimento do acordo de 2014; solução para os problemas do novo sistema RH; reforma do estatuto; código de ética; periculosidade; auxílio alimentação; reajuste da CET; plano de carreira, cumprimento de ordem judicial e isenção de ICMS para aquisição de arma de fogo para PMs e Bombeiros Militares. Após a carreata, o grupo retorna para a Adelba, onde ficará reunido até a meia noite. “Depois disso, vamos deliberar os rumos do movimento. Depois dessa decisão, se terminar hoje, amanhã entra o negociador, e não um coronel de polícia”, disse Prisco, referindo-se à decisão de Justiça, que negou o pedido do Ministério Público Estadual (MPE) de suspender as atividades da sede da Associação dos Policiais e Bombeiros Militares e seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra).

Deixo o seu comentário

comentário(s)