vitima2-foto-Philipe-do-Socorro-e1423018567292

Mulher chora ao lado do corpo do trabalhador rural | Foto: Philipe do Socorro

A falta de estrutura da segurança pública na Bahia ficou mais uma vez evidente nesta terça-feira (3), em um protesto ‘macabro’ na BR-330, na altura do acesso à cidade de Ibirapitanga, região sul do Estado. Segundo o site Ubatã Notícias, no protesto, uma das faixas da rodovia foi interditada de modo inusitado: com um corpo atravessado no meio da pista. O cadáver era do trabalhador rural Roberto dos Santos, de 46 anos, que veio a óbito por volta das 14h desta segunda-feira (02) num acidente quando manuseava a espingarda, na Fazenda Aurora, no município de Ubaitaba. De acordo com informações de Genivaldo dos Santos (52), irmão da vítima, Roberto morreu após tentar tirar uma jaca com o cabo da própria espingarda.

vitima-foto-Philipe-do-Socorro-e1423018487189

Demora na perícia motivou protesto na BR-330 | Foto: Philipe do Socorro

De acordo com o Ubatã Notícias, a arma acabou disparando acidentalmente e matou o homem. A Polícia esteve no local, levou a espingarda, mas os peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT) demoraram cerca de 24 para fazer a remoção do corpo. Indignados, parentes e amigos transportaram o corpo pelo meio do mato, percorrendo cerca de cinco quilômetros até a BR-330. No meio do caminho, tiveram de atravessar de canoa o Rio de Contas. O DPT só fez a remoção do corpo às 20h3. Segundo os peritos, eles só tiveram conhecimento da morte do trabalhador rural na tarde desta terça, quando realizavam outro levantamento cadavérico, no distrito de Itamarati, em Ibirapitanga. A família alega que desde o ocorrido informou diversas vezes as autoridades. Roberto deixou viúva e duas filhas.