Papa faz convite à espiritualidade em cerimônia de Acolhida da JMJ Christophe Simon/AFP

Milhares de jovens prestigiaram a cerimônia de abertura da Jornada Mundial da Juventude (Foto: Christophe Simon / AFP)

Um convite a espiritualidade. Este foi o tom do discurso do papa Francisco aos jovens que foram vê-lo na Festa de Acolhida da Jornada Mundial da Juventude, na praia de Copacabana, no início da noite desta quinta. A fala contrastou com o discurso feito pela manhã, na Favela da Varginha, no qual abordou questões sociais.

Marcado por citações da Bíblia, o discurso do pontífice recorreu a uma gíria bem carioca – “bote fé”- para conclamar o público a se engajar no cristianismo, deixar as obsessões materiais – “o ter, o dinheiro, o poder”- e trocar a si mesmos por Deus como centro da vida.

No discurso, Francisco recorreu a uma imagem familiar – a preparação de comida – para expor seu pensamento:

— A cruz da Jornada Mundial da Juventude peregrinou através do Brasil inteiro com este apelo. Bote fé: o que significa? Quando se prepara um bom prato e vê que falta o sal, você então ‘bota’ o sal; falta o azeite, então ‘bota’ o azeite… ‘Botar’, ou seja, colocar, derramar.” Para o papa, a Bíblia mostra o caminho para a jornada espiritual que recomendou aos jovens. “No Evangelho, escutamos a resposta: Cristo”, afirmou.

Com chuva forte, o papa Francisco foi bastante aplaudido pelos peregrinos no fim de sua fala na Missa da Acolhida da Jornada Mundial da Juventude. Após a sua participação, os peregrinos começam a deixar a praia de Copacabana. (Zero Hora)