Extra
2016-909930210-2016-893924324-2016-893121560-rbob79631-_20160302_2

Baía não foi despoluída para os Jogos | Foto: Roberto Moreyra

Especialistas da área de saúde ouvidos pelo jornal americano “The New York Times” aconselharam os atletas que competirão em águas abertas nos Jogos Olímpicos do Rio a “manter a boca fechada”. A publicação lembra que, há sete anos, o governo brasileiro se comprometeu a limpar a Baía de Guanabara, onde os eventos de vela serão realizados. No entanto, cientistas e especialistas em meio ambiente explicam que hoje o local está ainda mais contaminado. O jornal recorda promessas do governo brasileiro, feitas há sete anos, de conter os resíduos que poluem a Baía de Guanabara, e diz também que as autoridades reconhecem que os seus esforços para tratar o esgoto têm ficado muito aquém do esperado. A publicação relata ainda que recentes testes realizados apontaram a presença de um rotavírus na água que causam diarreia e vômitos. Eles apresentam também uma pesquisa feita pela Universidade Federal do Rio (UFRJ) nas praias de Ipanema e Leblon, que também detectaram uma alta porcentagem de contaminação. “Atletas estrangeiros vão nadar, literalmente, na merda humana, e estarão sob risco de contágio de uma doença causada por todos estes organismos”, disse o Dr. Daniel Becker, pediatra brasileiro ouvido pelo “The New York Times”, que acrescenta: “É triste, mas também preocupante”. Recentemente, uma atleta da equipe de vela da Alemanha falou sobre sua experiência em treinamentos na Baía de Guanabara. “Temos que manter a boca fechada quando a água é espirrada”, criticou Afrodite Zegers.