Justiça decreta prisão preventiva de casal acusado de torturar jovem de Camaçari

A Justiça Federal decretou a prisão preventiva da brasileira Natalice Reis e do italiano Agostino Meneghini, denunciados por torturar, ameaçar e tratar como escrava uma jovem baiana do município de Camaçari, entre 2009 e 2010. Segundo denúncia oferecida em maio pelo Ministério Público Federal na Bahia, a vítima foi convidada pela ré, em agosto de 2009, para trabalhar como empregada doméstica em sua casa, em Verona, na Itália. A baiana, que tinha 19 anos, receberia 200 euros por mês e, depois de um ano, deveria ressarcir os empregadores das despesas referentes ao seu deslocamento. Ao chegar à Itália, os réus cobraram o imediato pagamento dos valores da viagem e, com fundamento na dívida, passaram a exigir a prestação dos serviços domésticos sem remuneração. A jovem foi impedida de sair da residência no período em que trabalhou para eles e também foi vítima de violência física e psicológica por oito meses. A vítima retornou ao Brasil em junho de 2010 e as agressões sofridas foram comprovadas por laudos de exame de lesões corporais e de verificação de ato libidinoso. A Justiça solicita a extradição de Natalice Reis e já encaminhou ofício à Polícia Federal para que os mandados de prisão sejam incluídos nas difusões vermelhas da Organização de Polícia Internacional (Interpol).