Moto bateu em um poste em frente ao Ondina Apart Hotel. Irmãos morreram na hora

A prisão preventiva da médica Kátia Vargas Leal Pereira, 45 anos, foi decretada na manhã desta terça-feira (15), segundo informações do promotor do Ministério Público da Bahia, Davi Galo. “Essa prisão em flagrante dela foi convertida em prisão preventiva”, disse o promotor em entrevista ao Correio24horas. O advogado da família dos irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes, mortos no acidente em Ondina nesta última sexta-feira (11), também confirmou a informação.

“Caso a perícia realizada pelo Departamento de Polícia Técnica comprove que a médica já pode ter alta, os próximos passos ficam claros. Inicialmente, ela será conduzida por policiais para a delegacia onde o caso foi registrado, para prestar depoimento”, explica Galo. “Em seguida, recolheriam ela para uma cela em uma detenção que se adeque ao perfil da médica, porque ela tem nível superior. Tudo isso pode acontecer nas próximas horas – no mais tardar, até amanhã [esta quarta-feira (16)”, garante.

Durante o acidente, Emanuel, 21 anos, e Emanuelle de 22 anos estavam a bordo de uma moto, que bateu em um poste, em frente ao Ondina Apart Hotel. Eles morreram na hora. De acordo com a polícia, testemunhas afirmam que Kátia dirigia em alta velocidade e discutiu com Emanuel. Depois, ela teria perseguido a moto, provocando um toque, que fez com que o jovem perdesse o controle da moto. 

O Ministério Público tem intenção de denunciar Kátia Pereira por homicídio triplamente qualificado. Caso seja condenada pelo crime, a médica pode pegar de dez a trinta anos de prisão por cada crime, chegando ao total de uma pena de 24 a 60 anos de prisão.  (Correio)