Share Button

Por G1 e TV Globo

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira (19) que há “muita má-fé” e “leviandade” na acusação do Ministério Público Federal (MPF), que o denunciou por suposto recebimento de propina em troca da edição de uma medida provisória que favoreceu montadoras automobilísticas em 2009. Ele negou ter sido favorecido pela edição da MP, aprovada posteriormente por deputados e senadores no Congresso. O ex-presidente prestou depoimento na tarde desta quarta ao juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal, em Brasília. O depoimento faz parte do processo da Operação Zelotes, da Polícia Federal. “Eu conheço a acusação. Há muita má-fé, há muita leviandade”, afirmou Lula no depoimento. “Eu estou cansado de tanta mentira, de tanta leviandade, tantas insinuações. Parem de insinuar coisas ao meu respeito”, protestou o ex-presidente. Na denúncia, o MPF sustenta que, em troca de propina, o então presidente Lula em 2009, editou uma medida provisória a fim de prorrogar incentivos fiscais a empresas do setor automobilístico. Segundo a acusação, com isso, Lula e Gilberto Carvalho, então chefe de gabinete da Presidência, arrecadaram R$ 6 milhões de forma ilegal para campanha eleitoral do PT.