Share Button
naom_585303ee581a2

Procurador da República Deltan Dallagnol | Foto: Vladimir Platonow / Agência Brasil

Depois de processar o juiz federal Sérgio Moro e o delegado de Polícia Federal Filipe Hille Pace, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva agora mira o procurador da República Deltan Dallagnol, um dos coordenadores da força-tarefa da Operação Lava Jato. Os advogados do petista informaram nesta quinta-feira (15), que entraram com uma ação contra Deltan e pedem indenização de R$ 1 milhão por “danos morais”. De acordo com informações do Estadão Conteúdo, a defesa quer que o procurador seja condenado por causa da entrevista coletiva de 14 de setembro, na qual Deltan anunciou a primeira denúncia da Lava Jato, no Paraná, contra o ex-presidente com uso de power point. Na ocasião, Deltan atribuiu ao ex-presidente o papel de “comandante máximo” do esquema de corrupção instalado na Petrobrás entre 2004 e 2014. Para a defesa de Lula, a entrevista “promoveu injustificáveis ataques à honra, imagem e reputação de nosso cliente [Lula], com abuso de autoridade”. Lula entrou com ação de reparação de danos no Fórum de São Bernardo do Campo em outubro.