G1 BA
ba80c2b9a6c747cb1d76e20415ee5571

Morte de frangos em São Gonçalo dos Campos, na Bahia | Foto: Arquivo Pessoal

Cerca de 10 mil frangos morreram em uma granja localizada na zona rural de São Gonçalo dos Campos, na região de Feira de Santana, após queda de energia na manhã de terça-feira (30). Segundo o técnico agrícola Jair Ribeiro, o local fica em uma fazenda, tem oito galpões, cada um com cerca de 22 mil frangos. “Esses galpões precisam de equipamento como nebulizadores e ventiladores. Nós fizemos três protocolos na Coelba [Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia]. Morreram no dia uns 6 mil frangos, mas vários ficaram debilitados e hoje já são 11 mil frangos mortos”, afirma. Segundo ele, o contato foi feito com a Coelba pouco antes das 9h, mas a equipe chegou ao local no meio da tarde. Ribeiro afirma que, pela urgência, um encarregado conseguiu achar um eletricista na região, que conseguiu colocar uma caneleta no lugar e restabelecer a energia. 

Segundo o veterinário André da Rocha, o período que a granja ficou sem luz contribuiu para a morte dos frangos. “Foi o tempo suficiente para ter a mortandade relativa ao calor. Eles ficam em um galpão convencional, onde são utilizados ventiladores e um sistema de aspersão de ar. Tem uma tubulação que sai água sob pressão e faz névoa. Por conta do calor, eles morreram”, relata o profissional.

A Coelba informou que recebeu duas reclamações de falta de energia. Segundo a gestora de atendimento a clientes da Coelba em Feira de Santana, Adriana Tenório, a informação passada pela granja sobre o período da interrupção, que teria sido duas horas pela manhã e mais duas horas pela tarde, seria insuficiente para provocar mortes dos frangos. A Coelba nega demora no atendimento, detalhando que a reclamação chegou às 10h53 pela manhã e que às 12h15 a equipe esteve ao local e restabeleceu a energia. Em seguida, afirma que recebeu outra ligação às 13h30 e que os técnicos retornaram ao local às 16h02, quando a energia já tinha sido retomada em decorrência do serviço de um eletricista. No entanto, o técnico Jair Ribeiro afirma que, no período da manhã, a concessionária de energia não chegou a ir na granja e restabeleceu o fornecimento de duas fases à distância, pelo centro de distribuição. Acrescenta ainda que a granja só funciona se as três fases de energia estiverem em funcionamento, o que só foi possível à tarde.