Cerca de 450 merendeiras estão com os salários atrasados | Foto: Ilustração

Mais de 400 merendeiras que trabalham em escolas públicas do estado estão em greve por causa do atraso no pagamento dos salários. São funcionárias da empresa Líder, terceirizada contratada pelo governo. Sem merenda, o horário das aulas foi reduzido. De acordo com o sindicato da categoria, as merendeiras que pararam são contratadas por uma das quatro empresas que prestam serviço ao estado. Cerca de 450 trabalhadoras estão com os salários atrasados. “A orientação é que elas continuem em casa até regularizar a situação”, diz Ana Angélica, do Sindicato das Merendeiras.

A assessoria da Secretaria de Educação do Estado não informou quantas escolas estaduais estão prejudicadas pela greve de merendeiras. Sobre o problema com a Líder, a Secretaria de Educação disse que deve cancelar o contrato e que todos os direitos das merendeiras vão ser cumpridos. Além disso, acrescenta que está garantida a permanência delas na nova empresa que vai ser contratada pelo governo. (G1)