As cisternas eram de material inflamável e apenas 70 resistiram ao incêndio

Um incêndio de grandes proporções destruiu, na noite deste sábado (12),  milhares de cisternas doadas pelo Ministério da Integração Nacional (MI) para minimizar os efeitos da seca na Bahia.

Os equipamentos, fabricados com polietileno, seriam doados a moradores de regiões afetados pela estiagem e estavam armazenados em uma área do perímetro urbano do município de Maracás, no sudoeste baiano.

A instalação de cisternas de abastecimento humano é uma das ações realizadas pela  Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) no âmbito do programa Água para Todos, coordenado pelo Ministério da Integração Nacional (MI).

De acordo com informações do site Vandinho Maracás, o incêndio começou por volta das 21h, mas a cidade não possui Companhia do Corpo de Bombeiros e os combatentes só chegaram por volta das 23h, após o fogo consumir  boa parte das 1.345 cisternas disponibilizadas.

Ainda de acordo com informações do site, moradores da região conseguiram afastar cerca de 70 cisternas da área do fogo, mas as que ficaram foram totalmente destruídas.