O médico Eduardo de Souza Martins Fernandes, que atuava no Rio de Janeiro, pode ter o registro profissional cassado, de acordo com recomendação do procurador da República, Sergio Suiama à 12º Vara Federal do estado. Ele foi responsável por retirar o fígado e dois rins de uma paciente infectada por superbactéria, que foram transplantados para três pacientes.
Eles morreram vítimas da mesma doença da paciente, dias depois dos transplantes, realizados em três hospitais diferentes. Segundo o Ministério Público Federal, após a captação dos órgãos, Fernandes teria assinado um laudo que informava a existência de pus na paciente doadora, o que indicaria a existência de infecção, mas não comunicou o fato às equipes que fariam os transplantes.
Fernandes também foi condenado recentemente pela Justiça Federal sob a acusação de desviar órgãos no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e ignorar a lista nacional de transplantes de fígados. Ele foi condenado, junto com outro médico, a pagar multa de R$ 100 mil e ficou proibido de exercer cargo público, mas ainda cabe recurso a essa decisão judicial. (BN)