G1 BA
hec_bahia

Emergência do HEC só está atendendo os casos graves | Foto: Reprodução/TV Subaé

Médicos do Hospital Estadual da Criança (HEC), em Feira de Santana, paralisaram as atividades nesta segunda-feira (24), como forma de protesto por atrasos nos salários. Os funcionários informam que os vencimentos estão atrasados há dois meses. O atendimento foi suspenso parcialmente no setor ambulatorial, e na emergência só estão sendo atendidos os casos extremos. Os demais pacientes estão sendo encaminhados para outras unidades de saúde do município. Os médicos reclamam que o último repasse de recurso do Governo do Estado para o HEC foi em julho. Por isso, o Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP), organização que administra o HEC, está com dificuldade de cobrir custos administrativos. Em nota, a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) informa que a paralisação é parcial, atingindo as consultas ambulatoriais e os pacientes classificados fora do perfil de atendimento que procuram a unidade. Os pacientes considerados graves continuam sendo atendido normalmente pela equipe do Hospital da Criança. Já a assessoria do hospital disse, também por meio de nota, que está disponível para, junto  com a Sesab, buscar soluções na regularização dos repasses e no atendimento à população. A secretaria marcou uma reunião com a diretoria do instituto que administra o hospital ainda nesta segunda-feira.