IMAGEM_NOTICIA_5 (1)

Foto: Francis Juliano/ Bahia Notícias

As menções ao nome do ex-governador da Bahia e ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, no âmbito da Lava Jato, encerram um período de “calmaria” para o Palácio do Planalto. Esta é a avaliação de líderes da oposição e membros do governo, de acordo com a Folha de S. Paulo. Ainda segundo interlocutores, há um temor de que as investigações “melem” o nome de Wagner como “plano B” para concorrer à Presidência da República, em 2018. Dilma está preocupada com o que tem chamado de “tiroteio seletivo” contra o ministro, mas tem dito que as notícias não abalam a relação entre os dois nem criam risco para sua permanência no cargo. Delator da Lava Jato, Cerveró declarou que a campanha de Wagner ao governo da Bahia em 2006 recebeu dinheiro desviado da Petrobras.