Share Button

Por O Globo

O ministro da Saúde, Nelson Teich | Foto: Anderson Riedel/PR

O ministro da Saúde, Nelson Teich | Foto: Anderson Riedel/PR

O ministro da Saúde, Nelson Teich, reconheceu em entrevista coletiva nesta quinta-feira que o número de mortes em razão da Covid-19 no Brasil pode ultrapassar mil por dia. Segundo ele, isso ocorrerá se o movimento de aumento do número de óbitos continuar. Ele também afirmou que a diretriz do governo para orientar a flexibilização das medidas de distanciamento social está pronta, mas teme “polarização” política. O balanço desta quinta-feira do Ministério da Saúde registrou 5.901 mortes em razão da doença no país. O maior número de óbitos foi registrado nos três últimos dias: 474 na terça-feira, 449 na quarta e 435 nesta quinta. “Em relação a um possível número de mortes, hoje a gente está perto de 500 mortes, 400. O número de 1.000, se estivermos num movimento, num crescimento significativo da pandemia, é um número que é possível acontecer. Não quer dizer que vai acontecer. A gente tem que acompanhar a cada dia para ver o que está acontecendo para tomar as decisões”, disse Teich. Em outro trecho da coletiva, Teich disse estar preocupado com a polarização política em torno da adoção ou não de medidas de distanciamento social. A declaração foi feita após ser questionado se, diante do número de mortos pela doença estar perto de 6 mil, o ministério alteraria a orientação para o distanciamento social ou se adotaria uma política alinhada ao presidente Jair Bolsonaro, que é favorável à redução dessas medidas. “O número de mortes adicional é muito triste. Mas não é porque eu tenho uma alteração nesse número de mortes. A política não é em função disso. Temos uma definição clara: o distanciamento permanece como orientação”, afirmou o ministro.