Share Button
Antonio Palocci foi preso na 35ª fase da Operação Lava-Jato, em setembro do ano passado - Geraldo Bubniak / Agência O Globo

Antonio Palocci foi preso na 35ª fase da Operação Lava-Jato, em setembro do ano passado – Foto: Geraldo Bubniak / Agência O Globo

O relator da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin, negou nesta quarta-feira habeas corpus ao ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, preso em Curitiba desde setembro do ano passado por ordem do juiz Sérgio Moro. No mês passado, o ministro já tinha negado o benefício ao petista. Segundo O Globo, o novo pedido da defesa de Palocci foi formalizado na última sexta-feira. Segundo os advogados, o petista está preso há mais de sete meses sem que tenha sido condenado por um tribunal de segunda instância. A decisão de Fachin foi tomada no dia seguinte ao julgamento da Segunda Turma do STF que resultou na libertação de outro réu da Lava-Jato, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu. À decisão, ainda cabe recurso que será julgado pela Segunda Turma do tribunal, a mesma que determinou a libertação de Dirceu, ontem, e na semana passada do empresário José Carlos Bumlai e do ex-assessor João Cláudio Genu.