Share Button

Por TV Globo

Foto: Nelson Jr./SCO/STF

Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi eleito nesta quinta-feira (16) presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Foram seis votos a um. Tradicionalmente, o ministro que é eleito para comandar a Corte vota no vice. Em função do coronavírus, a votação, que é secreta e ocorre em sessão no plenário do tribunal, foi eletrônica e os magistrados votaram de suas casas. A Corte enviou para cada ministro um equipamento, além de cabine e mesário. Desde que foi declarada a pandemia, os julgamentos estão ocorrendo por videoconferência e a Justiça Eleitoral tem trabalhado em sistema de plantão. Barroso assume a presidência do TSE em 26 de maio, substituindo a ministra Rosa Weber. O ministro vai comandar as eleições municipais de outubro e tem defendido que só em junho será possível avaliar se o pleito deve ser adiado por causa do avanço do coronavírus pelo país. Isso porque as votações podem provocar aglomerações. Ele tem se manifestado contrário à prorrogação do mandato de prefeitos e vereadores para depois de 1º de janeiro de 2021, fazendo com que as eleições coincidam em 2022. Segundo o futuro presidente do TSE, se o adiamento for necessário, a disputa eleitoral deve ser transferida para dezembro. O primeiro turno do pleito está marcado para 4 de outubro e o segundo, para o dia 25. O ministro ressaltou que qualquer alteração na data da eleição vai depender do Congresso. “O tribunal vai ter o cuidado de estabelecer interlocução necessária com Congresso Nacional para que possamos compartilhar as circunstâncias técnica e políticas”.