14595609_1296458467045243_1212772662202365369_n

Foto: Divulgação/ PRF

O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais do Ministério Público Estadual (Gaeco) deflagrou no início da manhã desta terça-feira (4) uma operação com objetivo de desarticular esquema criminoso envolvendo cobrança de propina em causa sob julgamento no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). Durante a “Operação Leopoldo”, que conta com o apoio da Polícia Rodoviária Federal, foram conduzidos coercitivamente dois ex-desembargadores e três advogados, sendo realizadas buscas em cinco endereços na cidade de Salvador. Segundo as investigações, as autoridades judiciais, quando na ativa, teriam cobrado vantagem ilícita para que fosse proferida decisão favorável em causa que tramita no TJ-BA, o que envolveu o pagamento de soma superior a R$ 500 milhões. Já os advogados teriam agido para intermediar a cobrança da propina e garantir o seu pagamento através de contratos de honorários fictícios. Os nomes dos envolvidos não havia sido divulgado pelo Ministério Público até a publicação desta reportagem.

Redação Notícias de Santaluz