Share Button

Por Poder360

Foto: Sérgio Lima/Reprodução

Foto: Sérgio Lima/Reprodução

O Ministério Público Federal protocolou na terça-feira (11) suas alegações finais na ação penal da Lava Jato que investiga o pagamento de propina das construtoras Odebrecht e OAS ao ex-presidente Lula, em parte por meio de obras em um sítio em Atibaia (SP). A Procuradoria reforçou o pedido de condenação do petista e de mais 12 réus. No documento, o MPF pede reparação de danos no valor de R$ 155 milhões à Petrobras, e que os réus devolvam todos os bens e valores obtidos nos crimes. A Petrobras e as defesas dos acusados têm até 7 de janeiro para apresentar suas alegações finais no processo. A sentença do caso na primeira instância deve sair em 2019. A Justiça deve aplicará sanções aos delatores conforme previsto nos acordos de colaboração de cada um. Todos os delatores são ligados à Odebrecht. Ele são: Emílio Odebrecht, Emir Diniz Costa Junior, Carlos Armando Guedes Paschoal e Alexandrino Alencar. A defesa de Lula alega que não há nenhuma indicação de provas de culpa ao ex-presidente, mas apenas deduções baseadas em afirmações de delatores.