Começou nesta segunda-feira (16) a operação de engenharia, sem precedentes na história, para endireitar o Costa Concordia –gigantesco cruzeiro que há 21 meses sofreu um acidente no litoral da ilha de Giglio (centro da Itália) causando a morte de 32 pessoas.

Engenheiros responsáveis pelo processo disseram que o casco do navio já não está mais preso nas rochas da costa, e já emergiu cerca de um metro –até agora a rotação no próprio eixo foi de ao menos três graus.

A expectativa dos técnicos é que à partir dos vinte graus de rotação o navio irá se mover mais rapidamente em função do próprio peso, e será necessário o uso de amortecedores para controlar o movimento.

O Costa Concordia encalhou em um recife na noite 13 de janeiro de 2012, após o capitão levar o navio perto da costa de Giglio. O acidente matou 32 pessoas, e dois corpos continuam desaparecidos.

O navio bateu num recife próximo à costa da ilha de Giglio, na noite de 13 de janeiro de 2012, e foi inundado pela água que entrou através de um corte de 70 metros no casco do navio, que levava 4.200 passageiros e tripulantes.