Obras para a Copa batem recorde de atrasos em 40 anos, diz presidente da Fifa

O presidente da Fifa, Joseph Blatter,admitiu que nunca uma preparação para um Mundial sofreu tantos atrasos como no caso do Brasil desde que ele trabalha na entidade. Ele assumiu suas funções na entidade em 1975 e, em 1998, passou a ocupar a presidência. Em entrevista concedida ao jornal suíço 24 Heures, Blatter insiste que o Brasil se deu conta do desafio de se preparar para o Mundial tardiamente. “O Brasil acaba de tomar consciência do que é (a Copa). Eles começaram tarde demais”, disse. “É o país mais atrasado desde que eu estou na Fifa e, portanto, foi o único que tinha tanto tempo – sete anos – para se preparar”, disse Blatter. O suíço também admite que a federação prevê novas manifestações nas ruas brasileiras durante a Copa do Mundo, mas supõe que o “futebol estará protegido”. “Nós sabemos: teremos novas manifestações e protestos”, disse. “Os últimos, na Copa das Confederações, nasceram nas redes sociais. Não tinham objetivo, reivindicações reais. Mas durante a Copa, elas serão mais concretas, mais estruturadas. Mas o futebol será protegido. Não acredito que os brasileiros atacarão o futebol diretamente. No país deles (o Brasil), o futebol é uma religião”, avaliou. (Bahia Notícias)