Share Button

Com informações do site Bahia.Ba

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O senador Otto Alencar (PSD) criticou as mudanças ministeriais feitas pelo presidente Jair Bolsonaro na segunda-feira (30). O presidente do PSD baiano lembrou que em dois anos de governo, Bolsonaro já mudou 15 ministros.

Para Otto, Jair Bolsonaro poderia ter pedido ao ministro da Justiça para induzir o estado de sítio no país, mas não foi correspondido. Otto ressaltou ainda que o Exército não iria se submeter ao chefe do Executivo.

“Ou ele escolheu sem ver os currículos ou ele não tem boa relação com os que os servem. Eu deduzo que ele pediu ao ministro da Defesa para induzir o estado de sítio no país e os militares não aceitaram. O Congresso Nacional não aceitaria. Isso teve uma repercussão muito grande no Senado. Eu mesmo combati e combato isso. Ele se vendo acoado, no dia de seu aniversário, disse que só Deus tirava ele dali, disse que o Exército era dele. O Exército não é dele, já provou que não é, e não vai se submeter a uma pessoa desequilibrada como o presidente Bolsonaro”, analisou Otto.

“Antes, todo dia havia uma crise gerada por ele [Bolsonaro]. Agora, a crise do dia virou a ordem do dia. As escolhas que ele fez foi na tentativa de que os escolhidos sejam fiéis caninamente a ele, a tal fidelidade canina. Ele colocou o amigo de seu filho Flávio Bolsonaro no Ministério da Justiça”, acrescentou.