xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.BNNTYchYII

Foto: Reprodução

Apesar de Jaques Wagner (PT) ter afirmado ser ‘razoável’ a pensão vitalícia que será paga a ex-governadores após aprovação da Assembleia Legislativa da Bahia, o impacto pode pesar no bolso do contribuinte. Segundo levantamento feito pela coluna Raio Laser, do jornal Tribuna da Bahia, o Fundo Financeiro da Previdência Social dos Servidores Públicos do Estado da Bahia (Funprev) estadual terá que desembolsar por ano, mais de R$ 1 milhão para o pagamento da aposentadoria dos quatro beneficiados: Wagner, João Durval (PDT), Paulo Souto (DEM) e César Borges (sem partido). Se os vencimentos fossem pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), receberiam o teto de R$ 4.520 o que, descontado o fator previdenciário, cairia para aproximadamente R$ 4 mil mensais.