xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.8hhpaF0SRH

Foto: Alberto Pizzoli / AFP Photo

O papa Francisco declarou neste domingo a canonização de seus antecessores João Paulo II e João XXIII diante de centenas de milhares de pessoas na Praça de São Pedro, no Vaticano, numa cerimônia sem precedentes que ganhou peso histórico ainda maior com a presença do papa emérito Bento XVI. Foi a primeira vez na história que um papa em exercício e um papa emérito celebraram uma missa juntos em público, ainda mais em um evento realizado para homenagear dois de seus mais famosos antecessores. Recitando em latim, Francisco disse que, após deliberações, consultas e orações pela divina providência, “declaramos e definimos que os abençoados João XXIII e João Paulo II sejam santos e os incluímos entre os santos, decretando que eles devem ser venerados como tais por toda a Igreja”. A declaração foi recebida com aplausos da multidão que lotou a Praça de São Pedro. O Ministério do Interior da Itália havia previsto que em torno de 1 milhão de pessoas assistiriam à missa de canonização na Praça de São Pedro, nas ruas dos arredores e em outras “piazzas” nas cercanias, onde foram instaladas telas gigantes de TV para a transmissão da cerimônia. Reis, rainha, presidentes e primeiros-ministros de mais de 90 países assistiram à missa. Também participaram da cerimônia cerca de 20 líderes judaicos dos EUA, Israel, Itália, Argentina e Polônia, em sinal de reconhecimento dos avanços feitos nas relações entre católicos e judeus durante as administrações de João XXIII e João Paulo II e na dos sucessores que celebraram a canonização de ambos. Informações da Agência Estado.