Para geração do século 21, dominar tecnologia vale mais que saber idiomas, diz pesquisa

A chamada geração Y, nascida entre o final do século 20 e início do 21, está fadada a depender das tecnologias da informação para obter sucesso. Pelo menos é o que afirma uma pesquisa divulgada no jornal britânico Financial Times desta quinta-feira (5), segundo a qual o domínio das redes virtuais é mais importante para a carreira do que o conhecimento em matemática, ciência e até outros idiomas. Os dados foram obtidos através de entrevistas com mais de 12 mil pessoas em 27 países, inclusive o Brasil. Quando convidados a apontar qual o fator mais importante para seu sucesso, 36% dos jovens mencionaram a tecnologia, enquanto 20% elegeram a conjuntura econômica do lugar onde vivem. Depois, vieram as línguas estrangeiras (13%), ciência (12%), matemática (4%) e literatura (3%). A pesquisa mostrou ainda que a geração Y da América Latina fica conectada, em média, sete horas por dia, número semelhante ao dos EUA e superior ao da Europa (cinco horas).