Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Bahia Notícias

Com apenas um voto a menos do que o necessário (38), a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que pretendia antecipar o uso de R$ 2 bilhões dos royalties do petróleo pelo governo do Estado foi derrubada ainda no primeiro turno da votação na madrugada desta quarta-feira (8) na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). Com 47 deputados presentes à sessão, dez deles da oposição, a bancada da maioria só conseguiu arregimentar 37 votos favoráveis à controversa proposta, alvo de discussão inclusive entre os contrários. “Nós conseguimos obstruir a pauta, levamos a votação para entrar pela madrugada e impusemos a maior derrota da história do governo Wagner em sete anos aqui na Assembleia”, comemorou efusivamente o líder interino da oposição, Bruno Reis (PMDB). Resta agora ao Executivo reapresentar a matéria, caso ainda deseje vê-la implementada, porém apenas na próxima legislatura. Os governistas ainda tentam colocar o Orçamento de 2014 em discussão, mas a ala da minoria mantém a obstrução e promete pedir vista do texto, como forma de adiar o pleito para a próxima semana.

Governistas vão curtir no exterior e deixam governador “na mão”

Dos 46 deputados estaduais que compõem a base do governo na AL-BA, oito não estavam no plenário. No caso específico do PSD, partido presidido pelo vice-governador Otto Alencar, Timóteo Britto já estava licenciado em Teixeira de Freitas por motivo de saúde, mas Adolfo Menezes e Ângelo Coronel, embora o recesso ainda não tenha sido decretado devido à não votação do Orçamento de 2014, gozam período de curtição no exterior. O primeiro está em Paris, na França, e o segundo em Miami, nos Estados Unidos. Com informações do Bahia Notícias.